XVIII Encontro dos Comerciários do Paraná

postado em: Notícias | 0

Na última  sexta feira, 23 de março, a Federação dos Empregados no Comércio do Estado do Paraná (FECEP) deu início ao XVIII Encontro dos Comerciários do Paraná, realizado na sede da Colônia de Férias em Guaratuba – PR.

O evento começou às 9 horas da manhã, com a formação da mesa de abertura constituída por Vicente da Silva, presidente da FECEP; Paulo Rossi, presidente da UGT-PR; Marisa Chemeres, presidente do SEC Guarapuava e na oportunidade representando os sindicatos filiados; Miromar Ponciano de Andrade, presidente do SEC Umuarama e na oportunidade representando as mulheres; Edson Ramos, diretor do SEC São Paulo; Leila Boukhezam, advogada SEC Ivaiporã na oportunidade representando todos os advogados presentes.

Leocides Fornazza, presidente do SEC Maringá e presidente eleito da FECEP foi o mestre de cerimonias. Na oportunidade Leo deu as boas vindas aos presentes e abriu a mesa: “Sejam todos bem vindos ao XVIII Encontro dos Comerciários do Paraná, junto ao Seminário do Coletivo Jurídico. É um prazer para a FECEP receber tantos dirigentes sindicais e advogados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo”, apresentou.

Vicente da Silva também deu as boas vindas aos presentes e salientou a importância das discussões que o encontro tem para os comerciários: “A cada ano a Federação organiza o Seminário do Coletivo Jurídico, a cada ano surgem novas ideias e novas propostas para que nossos advogados possam trabalhar em cada região do Estado”, salientou Vicente.

Na sequencia dos trabalhos, foi iniciada as conversas sobre”Efeitos jurídicos e estratégia judiciária face à Lei nº 13.467/2017 – Reforma Trabalhista”, ministrado por Cláudio Socorro de Oliveira, assessor jurídico da FECEP e Walter de Souza Fernandes, assessor jurídico do SEC Maringá. Ambos os advogados participam do grupo de estudos da Confederação Nacional de Trabalhadores no Comércio (CNTC), a qual trata exclusivamente da Reforma Trabalhista.

Toda a discussão se estendeu durante todo o dia, analisando novos caminhos, estudando novas formas e pesquisando estruturas de negociação para entender e trabalhar com a reforma trabalhista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 10 =